TITLE

DESCRIPTION

Formação Complementar

Formação Complementar

Atividades para ano
letivo de 2014

A Escola do Sítio oferece no período
vespertino de maneira a compor, junto ao período da manhã, o período integral.
As atividades apresentadas são planejadas e selecionadas levando-se em conta a
proposta pedagógica da escola e seu compromisso com a nossa cultura e o
fortalecimento do desempenho acadêmico dos nossos alunos. Para tanto, além da
recreação, trabalhamos o apoio acadêmico no desenvolvimento de conceitos e
conteúdos e também em atividades voltadas para melhorar o rendimento escolar
dos nossos alunos.

Nossa proposta
é de privilegiar questões ou situações reais e concretas, que sejam
contextualizadas e que interessem de fato aos alunos. Tal proposta é possível
por intermédio de uma metodologia que propicia ao aluno compreender a
situação-problema do cotidiano e o envolva intensamente numa atividade
educativa que o transforme em agente ativo e corresponsável pelo seu
aprendizado. O conjunto de atividades propostas tem como objetivo apoiar o
desenvolvimento do currículo, os tempos e os espaços escolares.

A organização

Diante da
proposta, a Escola do Sítio continuará oferecendo no ano letivo de 2014, no
período vespertino (tarde), um conjunto de estudos e atividades que compõem uma
formação complementar à que ocorre no período da manhã.

Duas linhas de
atuação constituem o que denominados de “Formação Complementar”:

a)
Oficinas de estudos (projetos)

b)
Recreação

a) Oficinas de estudos

As Oficinas de
estudos, na Escola do Sítio, atua como apoio ao currículo trabalhado no período
da manhã. Procuramos com essa formação, contextualizar ainda mais o currículo e
dar significados ao que se aprende por intermédio de atividades que contribuam para
a formação de competências gerais e específicas dos nossos alunos.

As oficinas
também possuem um projeto pedagógico, não se limitando em desenvolver
atividades desconexas, fragmentadas e sem relação concreta com o currículo.

Os professores
da manhã e da tarde planejam a Formação Complementar por meio de atividades que
complementem o currículo, seja por contextualização ou por temas diretamente
ligados a alguma(s) disciplina(s).

Desta maneira,
o ensino na Escola do Sítio é realmente integral, pois dá significado e
significância ao que se aprende ao estabelecer uma relação entre os conteúdos
da manhã com as atividades do período da tarde. Os alunos, assim como no
período da manhã, podem atuar como agentes criadores e transformadores e
direcionar as atividades por meio de suas questões e inquietações, para que as
mesmas despertem o interesse pelo aprendizado e os induzam para construção de
novos conhecimentos.

Para que seja
possível esta complementaridade entre o currículo formal e a formação
complementar, as atividades são organizadas por competências ligadas ao saber,
ao saber fazer e ao saber ser, envolvendo assim o conhecimento, as habilidades
e as atitudes. Ao mobilizar esse conjunto de competências o aluno passa a
construir seu aprendizado.

Os professores
do período da manhã podem sugerir temas, pesquisas que contextualizem o que se
trabalhou em suas aulas, para serem trabalhados nas atividades do Estudo
Complementar. Evidentemente que essas
atividades devem ser um enriquecimento ao conteúdo, pois a aquisição do
aprendizado deverá ocorrer nas situações cotidianas do currículo trabalhado no
período da manhã. Assim o estudo complementar atua como um agregado ao
currículo e ela não será o único meio em que se aprendem determinados
conteúdos, mas sim um apoio.

Descrição dos projetos:

1.Oficina de
Leitura, Interpretação e Produção Textual

Professor:
Diogo Faleiros Portela

Com formação no Instituto de
Estudos da Linguagem – IEL pela Unicamp e professor de Português, Literatura e
Redação.

Dando continuidade às atividades realizadas em 2012
e 2013, a Escola do Sítio oferecerá também em 2014 as Oficinas de Leitura,
Interpretação e Produção Textual. As oficinas serão destinadas aos alunos do
Fundamental II (6º ao 9º ano) e terão por objetivo auxiliar no
desenvolvimento de competências essenciais no processo de aprendizagem.

A
leitura e a escrita são habilidades essenciais para todas as disciplinas, e
assim é importante que haja um projeto que destine mais atenção a elas. Desse
modo, na Oficina de Leitura e Interpretação haverá leituras conjuntas de
textos que apresentem diferentes níveis de dificuldade, discussões e atividades
escritas para estimular e avaliar o entendimento. Na Oficina de Produção
Textual
, os alunos exercitarão a escrita por meio da produção de gêneros
textuais variados e debates dos temas. Em ambas as oficinas, as turmas
reduzidas facilitarão um acompanhamento do progresso individual dos alunos,
respeitando as dificuldades e o ritmo de cada um.

Para
quem
: alunos do 6º ao 9º
ano

2.Oficina de Jogos Matemáticos e Atividades Complementares

Professor: Hector Mauricio Navarro Carrión

Formado em Matemática Aplicada
Computacional e Licenciatura na UNICAMP e regente das aulas de Matemática do
Fundamental II.

Professora:
Eleonora Dantas Brum

Psicopedagoga,
mestre em educação na área de Matemática.

Com o objetivo de desenvolver as habilidades
matemáticas e garantir alguns conceitos fundamentais para o aprendizado desta
ciência, estaremos iniciando nossas atividades neste ano de 2014 com um formato
um pouco diferente.

Teremos três horas aula à tarde, nas duas primeiras
trabalharemos principalmente com jogos matemáticos e a terceira será reservada
para que os alunos possam sanar as dúvidas especificas de cada ano.

Sempre acreditamos que os jogos são uma ferramenta
lúdica fundamental para o aprendizado significativo de alguns conceitos
matemáticos, por isso decidimos nos inspirar na tese de doutorado da Prof. Dra. Regina Celia Grando, que se
referem ao jogo como um “gerador de situação-problema e desencadeador da
aprendizagem do aluno”. É nestes moldes que pretendemos abordar os jogos, cujo
objetivo, na educação, não é apenas divertir, mas extrair questionamentos
suficientes para gerar conhecimento, interessar e fazer com que os estudantes
pensem com certa motivação.

Esperamos ansiosamente a participação de vocês.

Para quem: alunos do 6º ao 9º ano

3.Oficina de Comunicação em Língua
Inglesa

Professora: Mayara Oliva

Formada em Letras na PUCC e regente das aulas de Inglês do 4º ao 9º ano.

Com a mesma
metodologia dos demais projetos, o curso de Inglês também se insere no contexto
metodológico das oficinas ao propor uma maneira de aprender a ler, escrever
e pronunciar mediante desafios reais que
serão propostos e objetos de análise. Os desafios levarão os alunos a
contextualizar sua realidade com a prática da língua inglesa. Dessa maneira, as
oficinas não se prendem às tradicionais apostilas e sim em desafios e situações
concretas que estimularão a prática (leitura, produção escrita e pronúncia) da
língua inglesa.

Para
quem
: alunos do 1º ao 5º
ano

4. Oficina de Orientação de Estudos

Professora:
Lívia Pinheiro

Pedagoga
e mestre em educação (FE – Unicamp), atualmente é regente da turma do 3º ano.

Ensinar e aprender são tarefas complexas e
necessitam de participação constante de todos que envolvidos no processo. A
proposta de Orientação de Estudos, desenvolvida coerentemente com a Proposta
Pedagógica pressupõe uma busca de constante parceria com os pais ou
responsáveis, para que a mesma cumpra com seus objetivos. Ela
se propõe a orientar e
acompanhar o aluno em relação a sua forma de organização e disciplina no que
diz respeito às atividades escolares assim como orientações para pesquisas,
organização de seu material escolar e estudo diário.

O
trabalho de Orientação de Estudos oferecido no período da tarde integra-se,
portanto, à proposta pedagógica da escola e tem como objetivos complementar e
dar suporte à construção de conceitos, formação de habilidades e competências,
compreensão e interpretação de textos de diferentes linguagens, ajudando os
estudantes a ampliar seu repertório e adquirir mais segurança e autonomia para
lidar com o dia-a-dia escolar.

Metodologia

Acompanhar e orientar
constantemente os alunos que necessitam de um auxílio maior em seus
compromissos escolares, ou apresentem dificuldades de aprendizado.

Algumas estratégias:

·
Montar e executar seu “plano de estudo diário”;

·
Organizar um espaço físico em sua casa para o horário de estudo;

·
Organizar a agenda como facilitadora da organização diária e também
como um “vai e vem” de recados entre a família e escola;

·
Orientar como pesquisar um trabalho solicitado;

·
Diagnosticar dificuldades de habilidades e competências assim como
conteúdos para serem resolvidas pelos professores no período de aula normal
(manhã);

·
Auxiliar na montagem de um arquivo escolar (resolução de listas de
exercícios, esquemas de textos lidos, trabalhos realizados).

Será
desenvolvido em pequenos grupos, de acordo com as necessidades apresentadas e,
preferencialmente, sem relação direta com o conteúdo das aulas, embora em
situações especiais este possa ser trazido à discussão no grupo.

Para quem:
alunos de 3º, 4º e 5º ano


b) Recreação

A Recreação na Escola do Sítio pode ser
definida como um dos caminhos no processo de ensino aprendizagem, com potencialidades
para desenvolver a ética, a inclusão
escolar e social. Ela se caracteriza por ser muito alegre e divertida. Numa
sequência lógica, parte da temática central desenvolvendo-se em sub-temas ações
e atividades educativas.

As
vivencias são trabalhadas na Sala de Aula, nos Ambientes de
recreação naturais (horta, lago, playground, etc) e
informatizados, de forma dinâmica, propondo uma aprendizagem significativa,
contextualizada e sistematizada. Além de atividades lúdicas, da culinária, do
teatro, da música, das artes plásticas, etc,

instigam a importância da leitura, da escrita, das informações, das
habilidades, das competências e dos conceitos desenvolvidos no período da
manhã.

Escola
do Sítio por ser inclusiva, trabalha com perspectiva e não com expectativa. A
perspectiva permite vislumbrar um futuro com esperança, correr atrás dos
sonhos, trabalhando a solidariedade e a compaixão com sucesso. Enquanto que a
expectativa se fundamenta apenas no que já está assegurado devido à abordagem
trabalhada.

Nossa
metodologia instiga processos internos de desenvolvimento mental. Pretendemos
desenvolver a afetividade e a cognição numa perspectiva ética estética
inclusiva. Estimula pela percepção visual, tátil, olfativa ou auditiva. Motiva
o seu interior pela emoção, instigando o prazer de aprender a ser e conviver,
desenvolvendo sentimentos e internalizando valores. Cria oportunidades para que
possam produzir reproduzir, sonhar e criar o novo.

Além
das atividades do cotidiano, a escola contará com projetos que irão enriquecer
ainda mais as atividades da recreação, são eles:

1.Ballet e dança aplicada a consciência e expressão corporal.

Professora:
Adriana Salles Dall´Oca

Dançarina
e professora de dança.

O projeto das aulas de
dança clássica e contemporânea às crianças de Educação Infantil I a Educação
Fundamental I foi pensado para proporcionar o despertar da consciência e
expressão corporal.

Tem como objetivo
apresentar e desenvolver, através de aulas lúdicas grupais, uma vivência em
dança clássica e contemporânea que integrem o fazer, a apreciação e a
contextualização artística por meio de processos referenciados aos estudos das
técnicas de Klauss e Vianna, Rudolf Von Laban. Também serão trabalhados os
processos de criação em dança, com improvisações, composição coreográfica e
execução de sequências coreográficas.

A ideia é proporcionar aos discentes, vocabulário de movimentos; ampliação das referências espaciais e
temporais; desenvolvimento motor, cognitivo, afetivo e social, a fim de que
estes percebam a dança como instrumento de compreensão corporal/pessoal e de
comunicação.

Para quem:
alunos da Educação Infantil (Jardim I e II)


alunos do Ensino Fundamental (1º ao 3º ano)

2.Montagem de
teatro

Professor: Hugo Burg Cacilhas (Guga)

É formado em Letras pela Unicamp. Desde 2003 tem trabalhado como ator e
palhaço. Tem experiência com oficinas e aulas de teatro em instituições para
crianças e adolescentes.

O que é TEATRO? Para que ele
aconteça serão necessários palco, cenário, figurinos, texto? Ou basta um único
ator ou atriz frente a um único espectador? Será necessário um personagem, ou é
possível que o ator/atriz interprete a si mesmo? E quanto à sua voz e seus
gestos? Serão os mesmos do cotidiano ou eles deverão ser diferentes no teatro?
E qual será o objetivo de uma cena? Contar uma história? Criticar alguma coisa?
Ser engraçada? Dar medo? Fazer chorar?

Ufa!,
tantas perguntas! Nesse curso certamente não teremos as respostas, mas teremos
muita curiosidade para procurá-las juntos!

Através
de jogos, exercícios de corpo e voz, brincadeiras com sons e ritmo,
propiciaremos um ambiente de encontro e criação artística. A partir da reunião das diversas perguntas e
respostas da turma sobre teatro, bem como de seus temas, desejos e anseios,
nosso objetivo será nada mais, nada menos, do que… – “atenção respeitável público!” – criar
coletivamente um espetáculo teatral!

Quem
topa a aventura?

Esperamos
ansiosamente a participação de vocês.

Para quem: alunos do 3º ao 5º ano


alunos
do 6º ao 9º ano

3.Capoeira

Professor:
Contra Mestre Antonio (Ferpa)

Iniciou
a Capoeira em 1997 e ministra aulas desde 2006 em escolas de educação infantil
e fundamental, núcleos sociais, clubes e centros culturais. Faz parte do grupo
“Cordão de Ouro”. Já ministrou cursos na Suécia, Alemanha, Finlândia e Bolívia,
além da participação em diversos congressos nacionais nos estados de São Paulo,
Minas Gerais, Santa Catarina, Bahia e Rio Grande do Norte. Agora em 2014
conclui a graduação em Educação Física pela PUC Campinas.

As
aulas na Escola do Sítio tem como objetivo explorar a cultura da capoeira no
sentido mais amplo como os estilos Angola e Regional (golpes, defesas,
sequências), movimentos característicos do Grupo Cordão de Ouro, acrobacias,
história dos instrumentos e mestres tradicionais, contribuindo principalmente
para o desenvolvimento dos alunos nos aspectos motor, cognitivo e social
através dos movimentos corporais, musicalidade, cooperação e integração nas
atividades propostas.

O
Grupo Cordão de Ouro surgiu em 1967, no estado de São Paulo, com os Mestres
Suassuna e Brasília. Hoje, possui filiais em todo Brasil e Exterior
contribuindo para a expansão da Cultura Brasileira através de seus professores,
contra mestres e mestres formados.

Conheça um pouco do trabalho do Contra Mestre Ferpa
em:
www.ferpacdo.com

Para quem: alunos do Jardim I e II

alunos de 1º ao 5º ano

4. Percussão

Professor: Ivens Burg Cacilhas

Vasta experiência na produção e montagem de espetáculos artísticos.
Também participa do Grupo Cupinzeiro e é professor de Percussão na Escola,
desde o início do projeto em 2012.

Na Oficina de Percussão continuaremos os trabalhos
com jogos e brincadeiras que envolvem ritmo e musicalidade, para estimular a
percepção de tempo e pulsação, essenciais para a prática musical. Brincaremos
com percussão corporal e músicas do universo infantil.

Continuaremos também com o desenvolvimento da
concentração e coordenação motora, necessárias para manter uma pulsação e
conseguir usar outros sentidos ao mesmo tempo, tocando e cantando
simultaneamente. Acreditamos que esse trabalho enriquece a formação das
crianças por ampliarem o contato com outras formas de percepções e sentidos e
de como usa-los na prática, artisticamente de forma lúdica e não competitiva.

Nesse ano pretendemos também incrementar nossa
Oficina de Percussão com a construção de alguns instrumentos, visando a
promoção da consciência ecológica, de reciclagem, de valorização dos materiais
utilizados e despertando a curiosidade das crianças, sua imaginação e
criatividade, o que contribui também para o entendimento de questões
elementares referentes à produção do som e às suas qualidades.

Para quem: alunos do 1º ao 5º ano

5.Yoga

Professora: Andrea de Vasconcelos
Gonçalves

É fisioterapeuta e professora de Yoga.

A
proposta de Yoga na Escola do Sítio surgiu com o objetivo de estimular a
consciência corporal, a psicomotricidade, o equilíbrio e a flexibilidade.

Através
do uso de recurso lúdicos, histórias, músicas e interações entre as crianças, é
possível que as mesmas adquiram mais concentração, paciência, tolerância e
autoconfiança para libarem harmoniosamente com as questões de sua vida mais
precocemente.

A
prática de Yoga adaptada ao universo infantil é uma proposta inovadora e
possibilita um contato precoce com o autoconhecimento corporal e psíquico.

Para quem:
educação infantil

6. Projeto Brincadeiras e Ritmos da
Natureza

Professora: Anna Paula Watanabe

Tem formação em Engenharia de Alimentos, com ênfase no
consumo compartilhado mote da empresa Nave Mãe Brinquedos, na qual trabalha
atualmente.

Um fator importante no
aprendizado da primeira infância é o entendimento dos ritmos e ciclos da
natureza: dia e noite, estações do ano, chuva e sol, tempo de plantar e tempo
de colher… Nos dias atuais perde-se facilmente a percepção destes ritmos e
todos os dias do ano tornam-se iguais, ou parecidos.

Precisamos mostrar às crianças
que durante o ano há as mudanças de estação, tempo de chuva, tempo de
frio. E podemos marcar cada época do ano
com certas datas comemorativas como o Carnaval no verão, a Páscoa no início do
outono, a festa de São João em junho, férias de inverno em julho etc.

Com o auxílio de um calendário
interativo podemos trabalhar os dias e meses do ano, dias da semana, as
mudanças de estações e fases da lua.

Assim, a proposta visa que as
atividades sempre acompanhem cada período, com brincadeiras que variem de
acordo com o clima, por exemplo, no outono podemos observar que venta mais, daí
surgem as pipas no céu, os cata-ventos a girar etc.

Além disso, a proposta deste
projeto para a turma da Educação Infantil é um momento do brincar livre. Muitas
vezes subestimamos a importância do brincar no desenvolvimento infantil,
criando regras e procurando aproveitar cada momento para ensinar aquilo que
consideramos importante para nossas crianças. É preciso dar a elas um momento
em que a brincadeira seja o brincar por brincar simplesmente.

Assim, considero interessante
criar para as crianças um momento em que elas possam explorar e brincar
livremente com os brinquedos da Nave Mãe Brinquedos.

Assim, a Nave Mãe Brinquedos
entra neste projeto com seus brinquedos educativos de materiais naturais, como a madeira e tecido,
que ajudam as crianças a criar a conexão com as coisas da natureza. Os
brinquedos, além de estimularem a criatividade e a fantasia, são, em sua
maioria, amigos do ambiente e de empresas ambientalmente responsáveis. Como a
empresa Nave Mãe faz a locação de brinquedos, através deles também podemos ensinar
consumo compartilhado e sustentabilidade.

Para quem:
educação infanti


7.Arte circense na escola

Professora: Jaqueline de Souza

É uma Arte-Educadora nascida e criada no Circo
Bom-Bril, circo de lona que manteve atividades em diversos Estados Brasileiros
.

Seu trabalho, na cidade de Campinas, iniciou-se em
1997, no Espaço Cultural Maria Monteiro, espaço público vinculado à Secretaria
Municipal de Cultura, realizando atividades de formação em Artes Circenses,
voltada para o atendimento de crianças, adolescentes e adultos e se mantém
constante ao longo dos últimos 16 anos.

Montou o Grupo “Resgatando o Circo” fazendo apresentações pela cidade de Campinas e
Região, em escolas, clubes, circos, teatros e praças públicas. Tem participado
ativamente das Entidades de circo e de teatro, de encontros onde se constrói
uma articulação das práticas circenses no nosso cenário cultural. Em abril de
2004 organizou um encontro de famílias circenses na Vila Padre Anchieta,
ampliando a visibilidade do mundo do circo para os participantes. Ao longo
desses anos, crianças e adolescentes se incorporaram ao trabalho, e tiveram ali
formação artística, desenvolvimento de aptidões motoras, e exercício de
sociabilidade. Aquelas que passaram por esse processo, mas que hoje não atuam,
desenvolveram sua criatividade e espontaneidade.

O
trabalho desenvolvido aponta para a inclusão social, desenvolvendo experiência
em vivência em grupo, disciplina, solidariedade e trabalho coletivo. Introduz a
criança no domínio de suas habilidades físicas e da construção de uma
linguagem, onde aprende a externar suas fantasias por intermédio da expressão
corporal, da magia e da comicidade, amadurecendo emocionalmente.

As
modalidades trabalhadas nesse projeto, de acordo com a habilidade do participante
poderão ser os Malabares (clavas, aros, bolinhas, swing de fitas),
Equilíbrio
(pratinhos, rola- rola), Acrobacias de solo, Contorcionismo e Palhaço.

Para quem: alunos da Educação Infantil (Jardim I e II)

alunos do 1º e 2º ano

Organização e horários

1 –
Organização

a)
Oficinas
de Estudos

Orientação de Estudos

·Ciclo
I (3º ano) e Ciclo II (4º e 5º anos) – Quintas-feiras

Atividades: Organização de materiais escolares,
estudos dirigidos, ferramentas de pesquisas, com orientação de um professor
especialista em acompanhamento escolar. É direcionado para os alunos que
queiram aprimorar suas técnicas de estudos e para alunos com dificuldades de
aprendizado.

Oficinas de Português, Matemática e Inglês

·Ciclo
I – Inglês (Sextas-feiras)

·Ciclo
III – Matemática (Segundas-feiras) e Português (Terças-feiras)

Atividades: São oficinas de estudos que visam
complementar o currículo trabalhado no período da manhã: a Produção de Textos,
a Matemática Aplicada e o estudo da Língua Inglesa. O desenvolvimento é realizado
por projetos de estudos que propiciam a contextualização do que se aprende em
Português, Matemática e Inglês. A redação e diferentes textos e mídias,
resolução de problemas lógicos significantes e a contextualização de realidades
para aprendizado da Língua Inglesa.

b) Recreação

· Maternal – Todos os dias (conforme informações detalhadas nas
tabelas que seguem).

· Educação
Infantil – Todos os dias (conforme
informações detalhadas nas tabelas que seguem).

· Ciclos I, II e III – Todos os dias (conforme informações detalhadas nas
tabelas que seguem).

Atividades: Montagem de teatro, Capoeira, Dança,
Artes Plásticas, Música, Vídeo, Informática, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *